Astrologia, horóscopo, mapa astral, isso está em toda parte em nossa sociedade ocidental enraizada na cultura, pode ser considera por muitos como uma coisa “inofensiva e divertida” e para alguns até mesmo como ciência. O renomado astrônomo americano Phil Plait desbanca de vez o papel da astrologia nos dias modernos e aponta inclusive os efeitos negativos que isso tem causado.

(Confira o texto original em inglês)


 

Sumário

  • Introdução
  • Conclusão
  • O Básico
  • Farsa da Natureza
  • Imprecisão em que Acreditamos
  • Causa e Efeito
  • Um Chamado às Armas
  • Resumo
  • Conclusão
  • Links

 

Introdução

Eu tenho evitado o tópico astrologia por muito tempo. Na maior parte do tempo pelas mesmas razões que demorei para falar sobre pessoas como Hoagland e suas reivindicações sobre Marte: existem tantas ideias ridículas associadas com o assunto que eu sabia que seria impossível apenas ficar no meu canto.

Então: Gerônimo!

É hora de abordar o tema espinhoso da astrologia. Por que agora? Bem, por um único motivo, eu já esperei o suficiente. Parece errado evitar falar da maior e pior forma de astronomia que existe. Além do mais, eu escrevi um artigo sobre astrologia para a revista Night Sky. Meu editor e eu discutimos sobre como fazer isso, e ele me disse para focar na astrologia de signos (o tipo que você vê em jornais, por exemplo). Eu concordei que isso era suficientemente bom para o artigo, mas isso não atinge a profundidade do assunto que eu gostaria de abordar sobre a astrologia no geral.

Esta página é um antídoto para isso. Astrologia é uma farsa, e eu irei te mostrar porquê.

 

Conclusão

Astrologia é uma farsa.

Eu gostaria de dizer isso primeiro, apenas para que fique claro, e para ter certeza que você está prestando atenção. Eu irei repetir isso depois também.

 

O Básico

O que é astrologia?

Taurus vulgo Touro

Essa questão é difícil. Existem muitas vertentes da astrologia. Signos solares, Védica, arquetípica, natal, horária… Os diferentes tipos de astrologia parecem ser superiores ao número de estrelas no céu. Algumas das declarações que eles fazem são inerentemente contraditórias (alguns dizem que o momento do nascimento é importante, outros que é o mês, etc.), porém todos eles trabalham sob uma ideia principal: existe algum tipo de força espiritual que nos influencia aqui na Terra. Existem diferentes visões sobre essa força (alguns dizem gravidade, outros dizem eletromagnetismo, alguns dizem que é uma força que não pode ser mensurada), mas tudo isso se resume aos planetas e estrelas tendo algum tipo de efeito nas pessoas.

Se existe um efeito, e ele é real, ele pode ser mensurado. Talvez ele não possa ser mensurado baseado apenas em um indivíduo; talvez seja apenas um efeito estatístico. Em outras palavras, o efeito não pode ser considerado para um único indivíduo, mas apenas por grupos de pessoas (assim como dizer que eu não sei qual será o clima onde vivo daqui a exatos dez anos a partir de hoje, mas existe uma grande probabilidade de que terá um céu limpo e ensolarado). Porém mesmo isso pode ser mensurado utilizando estatísticas, e previsões como essa podem ser testadas sobre sua eficácia.

Primeiro, vejamos se existe qualquer efeito provindos dos planetas e estrelas como os astrólogos afirmam. Então, depois que eu mostrar que não existe nem mesmo um, a não ser os que existem e não podem ser aqueles que eles afirmam, nós iremos analisar as afirmações feitas por astrólogos sobre efeitos mensuráveis (te darei uma dica: eles estão errados). Então finalmente, irei falar um pouco sobre os efeitos reais da astrologia, e como isso está destruindo a capacidade das pessoas pensarem claramente.

Farsa da Natureza

Por apenas um momento, digamos que existe alguma força dos planetas que pode nos influenciar aqui na Terra. O que poderia ser?

Nossas escolhas são limitadas. Planetas são grandes esferas de gelo, pedras, metais, e outras coisas. A habilidade de nos afetar é pequena porque eles estão muito distantes. Tão longe quanto podemos dizer pela ciência, existem apenas quatro forças fundamentais: gravidade, eletromagnetismo, e duas forças chamadas força nuclear forte e força nuclear fraca. Os dois últimos apenas funcionam (mais ou menos) no núcleo de átomos e partículas subatômicas. É difícil ver como eles podem nos afetar em uma escala macroscópica (a força nuclear forte enfraquece tão rapidamente com a distância que ela essencialmente se extingue a poucos bilionésimos de metro da fonte!).

Então estamos presos entre a força gravitacional ou o eletromagnetismo. Vamos olhar brevemente para ambos.

Nós sabemos relativamente bem sobre como a gravidade funciona em larga escala, escalas como a do sistema solar. Basicamente, a gravidade de um objeto depende de duas coisas: quanta massa ele possui, e quão longe ele está. Quanto maior é um objeto, maior é a gravidade. Quanto mais perto se está, mais a gravidade te afeta.

Júpiter e sua lua, Io. Note a diferença de tamanho; Io é do mesmo tamanho da Lua Terrestre (e o ponto preto é a sombra dela em Júpiter; Io está um pouco mais à direita).
Isso é tudo muito bom, porém nós realmente precisamos colocar isso em números para analisar. Por quê? Porque, por exemplo, Júpiter possui cerca de 25.000 vezes a massa da Lua. Isso é muito! Porém ele também está a cerca de 1500 vezes mais longe que a Lua. Qual número vence no jogo da gravidade?

Nesse caso, a distância, por uma larga diferença. Eu não irei entrar em detalhes aqui, porque já escrevi uma página sobre gravidade e planetas. Leia aqui os número exatos. Mas o que realmente importa é que a gravidade dos planetas do nosso sistema solar representa uma pequena fração da gravidade da Lua para nós. Então, se a gravidade fosse a força por trás da astrologia, então a Lua deveria dominar sobre todos os planetas combinados. Ainda assim isso não bate com nenhum horóscopo astrológico.

Então não é a gravidade. Poderia ser eletromagnetismo?

Gravidade depende de massa e distância. Eletromagnetismo (ou apenas EM) depende da descarga elétrica e distância. O problema aqui é que a maioria dos grandes astros não possuem descargas elétricas! Eu falo mais sobre esse tema aqui. Descargas elétricas se originam de partículas carregadas como elétrons e prótons. Mas cargas opostas se atraem tão bem que raramente encontramos uma sem encontrar a outra próxima a ela, o que significa que um planeta é eletricamente neutro.

Um fenômeno astrológico alternativo.

Alguns planetas, por outras razões, possuem um campo magnético. Porém estes campos são fortes apenas em seu planeta natal. O campo de Júpiter é imenso, mas Júpiter está tão distante que não há nenhum efeito real em nós. Além disso, o Sol é, de longe, a maior fonte de EM do sistema solar. Seu campo magnético nos afeta diretamente; quando ocorrem explosões na superfície do Sol, um vasto fluxo de partículas carregadas são emitidas. Isso consegue interagir com o próprio campo magnético da Terra, causando prejuízos (em 1989, um destes eventos causou um blackout em Quebec). Então de qualquer forma, o Sol deveria ser a única fonte de efeitos astrológicos. Mesmo assim, astrólogos tendem a ignorar isso e continuam a dar o crédito aos planetas pela influência em nós. A força de todos os planetas combinados é minúscula comparada com a do Sol. Se EM fosse a força por trás da astrologia, os planetas poderiam ser seguramente ignorados.

Se a gravidade fosse a força diretriz da astrologia, a Lua iria domina-la, mas isso não ocorre. Se EM fosse a força diretriz, o Sol iria domina-la, mas continua a não ocorrer. Nós vivemos sem influência dessas forças!

A única esperança para os astrólogos é apostar em uma outra força, desconhecida para a ciência. Contudo, essa esperança é em vão. Por quê?

Até onde sabemos, toda força enfraquece com a distância. Um objeto muito distante possui menos força em você do que algo próximo. E mesmo assim os astrólogos clamam que todos os planetas possuem efeitos iguais (ou ao menos comparáveis), então entre o planeta próximo Vênus e o distante Plutão, ambos exercem a mesma força em você (ao menos, forte o suficiente para afetar sua vida de alguma forma). Isso significa, pelo que os próprios astrólogos dizem, distância não é um fator que interfere nessa força. Obviamente, massa muito menos, ou Júpiter iria dominar os planetas, e o pobre minúsculo Mercúrio ficaria de fora.

Mas isso não pode estar correto! E quanto aos asteroides? Eles são pedaços enormes de rocha e metal que também orbitam o Sol junto com os planetas. A maioria dos asteroides estão tão próximos da Terra quanto os outros planetas (não que distância importa para a astrologia, não é?), então eles deveriam surtir algum efeito. O problema é que existem muitos, muitos asteroides. Meu amigo Dan Durda calculou que há um bilhão de esteroides no sistema solar maiores que 100 metros de diâmetro. Isso é uma rocha enorme! Então porque astrólogos não os incluem em seus horóscopos?

Ainda há uma outra forma de pensar. Astrônomos (os cientistas de verdade) podem determinar que os planetas estão lá fora devido ao efeito real sobre suas estrelas-mãe. Se esses planetas afetassem a nós, o que eles deveriam de acordo com as regras dos próprios astrólogos, então por que os astrólogos não os predizem? Por que nem um único astrólogo 50 anos atrás disse “Devem existir outros planetas orbitando sobre outras estrelas, pois nós podemos ver isso em nossos dados!”? Eles não o fizeram pois não podiam. Seus “dados” são inúteis. Novamente, pelas leis usadas pelos próprios astrólogos, todos esses planetas iriam simplesmente superar o nosso próprio sistema solar, varrendo os efeitos dele simples e profundamente quanto uma explosão nuclear supera o som de um sussurro.

Lembre-se, e eu continuarei repetindo isso porque é importante– isso é deduzido de acordo com as regras dos próprios astrólogos. Ou há uma força conhecida, e nós podemos mostrar que isso não funciona para astrologia, ou é algum tipo de força desconhecida que não obedece as leis da física, em ambos os casos os asteroides e planetas de fora do sistema solar iriam dominar a astrologia, varrendo os efeitos dos planetas do nosso próprio sistema solar.

Então não pode ser uma força conhecida ou desconhecida. Não resta absolutamente nada. Astrologia não funciona.

 

Imprecisão em que Acreditamos

Outra previsão ambígua.
Eu tenho falado com muitas pessoas que dizem que seus horóscopos são precisos. Essas pessoas rotineiramente dizem que ele previu alguma coisa que veio a acontecer.

Porém há severas possibilidades de engano aqui! Primeiro, a previsão foi realmente precisa? Ela disse algo como “você irá ganhar dinheiro hoje” e você encontrou uma moeda no chão? Ou foi algo realmente específico, como “você vai encontrar uma moeda no chão”? A diferença é que uma previsão específica está raramente certa, enquanto uma vaga está raramente errada.

Segundo, o horóscopo estava certo em tudo que ele disse? Um antigo amigo te contatou? Você foi capaz de resolver um grande problema hoje? Você realmente encontrou uma paixão hoje? Em outras palavras, quantas das previsões foram precisas, e quantas não foram? As pessoas tendem a lembrar dos acertos e esquecerem dos erros (que é exatamente o que “porta-vozes dos mortos” como John Edward e James van Praagh fazem tão bem– veja aqui, ou aqui ou aqui).

Ainda tem dúvidas? Meu amigo e mestre cético James Randi executou uma performance excepcional do quão facilmente as pessoas são enganadas pela astrologia. Ele entrou em uma sala de aula fingindo ser um astrólogo, e escreveu horóscopos para todos os estudantes. Ele os fez ler e avaliar a precisão dele, e quase todos deram a nota máxima de precisão para o horóscopo. Então ele pediu para que cada um passasse o seu horóscopo para outra pessoa, e os estudantes viram que todos os horóscopos eram o mesmo. Ele foi escrito vagamente o suficiente para que praticamente todos na sala pensassem que estavam sendo bem descritos. Os horóscopos são tão vagos que se encaixam para praticamente qualquer um, e então seu poder preditivo é irrelevante. Estava tudo nas mentes dos estudantes.

Astrólogos se aproveitam da nossa inabilidade de lembrar quando eles erram, e nossa quase infalível habilidade de ver padrões em ruídos aleatórios (em outras palavras, para fazer com que algo que apenas pode, talvez ou vagamente, lembrar algo que nos descreva).

Quais são as probabilidades? Imagem cortesia de NOAO/AURA/NSF

Uma outra coisa. Eu tenho um amigo que disse que um astrólogo fez uma previsão precisa sobre ele (dizendo ele que havia quebrado sua perna alguns anos atrás). Isso seria bem interessante… Exceto que outro amigo meu, um palestrante mentalista conhecido por Banachek, uma vez me contou outra história. Ele faz um incrível trabalho no palco, adivinhando números em que as pessoas estão pensando, enxergando através de vendas, adivinhando (com incrível precisão) as cartas que as pessoas estão segurando. Uma vez ele disse em uma reunião de céticos que ocasionalmente ele iria perguntar se alguém da audiência já foi alguma vez atingido por um raio. Obviamente, ele não é um psíquico de verdade, porém se alguém na audiência realmente foi atingido por um raio, ele irá com certeza pensa que ele é um psíquico! Imagine as chances de ser possível de adivinhar isso, eles irão pensar. O problema é, a abordagem estatística funciona se você perguntar para gente o suficiente. E se ele perguntar e ninguém se manifestar, ele apenas prossegue para seu próximo ato. Eu irei acrescentar que quando ele fez isso eu estava na audiência, eu tive de rir ironicamente: alguém que eu conhecia, uma vez foi atingido por um raio. Se eu fosse um membro aleatório da audiência, eu iria classificar isso como um acerto? Pode apostar que eu teria.

O ponto é que mesmo um palpite arriscado de um astrólogo, mesmo que esteja correto, ele será irrelevante. Quantas vezes ele disse algo como isso para alguém que estava analisando, apenas para o negarem?

Quando investigado a fundo, e com um pensamento cético, previsões astrológicas são apenas ilusões. Na próxima seção iremos ver justamente uma investigação.

 

Causa e Efeito

Então como mostrei acima, não é possível existir um efeito sobre nós causado por uma “força astrológica”, não importa como vemos isso. Não importa o que, as evidências contradizem esta afirmação. Muitas afirmações astrológicas, mesmo as aparentemente precisas, podem não ser nada mais que um mero truque. Mas ainda assim, isso não significa que toda a astrologia é uma farsa. Há algo que realmente nos mostre que a astrologia é uma fraude?

Sim, existe.

No espírito de dar aos astrólogos a dádiva da dúvida, por assim dizer, vamos assumir que apesar de todas essas evidências contra isso, existe realmente um efeito sobre nós pelos planetas. Se ele existe, deve ser mensurável, e para os astrólogos serem capazes de usarem isso em horóscopos, suas afirmações devem ser consistentes. Afinal, se uma força não pode ser mensurada, ela não deve ter um efeito significativo em nós, e se os astrólogos dizem que tal força existe, então todas suas afirmações devem ser baseadas nessa força, e devem ser consistentes entre si.

Surpresa! As afirmações dos astrólogos não são consistentes. Eles não são nem mesmo internamente consistentes entre si.

Eu poderia demonstrar inúmeros exemplos de como horóscopos de signo-solar (o tipo que você encontra nos jornais) são completamente inconsistentes entre si. Eu poderia até falar sobre o movimento astronômico chamado precessão, o que demonstra que os signos solares não fazem sentido de qualquer forma (você pode ler mais sobre este assunto aqui se você quiser). Eu não irei me chatear com isso, porque no final eu acho que tudo isso é apenas distração; astrólogos sempre irão aparecer com alguma desculpa esfarrapada sobre como suas afirmações continuam corretas, enquanto outros astrólogos afirmam que isso é absurdo (é claro, o outro cara disse isso também).

Então vamos resumir a isso: astrólogos afirmam que seus resultados são consistentes. Houveram estudos, testes, experimentos, todo tipo de coisas para checar suas afirmações. A conclusão é, suas afirmações estão erradas.

Como eu sei disso? Porque eu li um artigo científico maravilhoso, um bem fundamentado, bem documentado, e referenciado artigo, que mostra precisamente onde a astrologia falha em todos os testes. Este artigo se chama “Astrologia é relevante para a consciência e psicologia?” e foi escrito por Geoffrey Dean, um pesquisador de longa data da astrologia, e Ivan Kelly, um professor do Educational Psychology and Special Education na Universidade de Saskatchewan.

O artigo destrói completamente qualquer noção de que a astrologia possui qualquer efeito. Eles olharam não apenas para estudos diretos da astrologia, mas para “meta-estudos”, testes que foram compilados para gerar estatísticas (um método muito poderoso que habilita pesquisadores a extrair dados de qualidade muito superior a testes individuais incertos com uma grande margem de erro). Como eles dizem no próprio resumo do artigo:

Muitos testes de astrólogos foram feitos desde os anos 50, mas apenas recentemente pudemos fazer uma revisão coerente deles. Um teste de larga escala de pessoas nascidas menos de 5 minutos não possuem nenhuma similaridade prevista pela astrologia. Meta-análise de mais de quarenta estudos controlados sugerem que astrólogos são incapazes de prever as características mais básicas como por exemplo extroversão [sociabilidade]. Mais especificamente, astrólogos que dizem usar habilidades psíquicas não possuem nenhuma diferença de desempenho com relação àqueles que não o fazem.

Em outras palavras, astrologia não funciona. Eles detalham casos de pessoas nascidas no mesmo período de tempo na mesma região, o que eles chamam de “gêmeos de tempo” (por exemplo dois bebês nascidos com minutos de diferença no mesmo hospital). Astrólogos, obviamente, irão prever muitas similaridades entre gêmeos de tempo. Mas, como Dean e Kelly disseram sucintamente “As fortes similaridades previstas pelos astrólogos simplesmente não estão lá”.

O artigo leva em consideração uma cautelosa análise dos estudos, e também com muito cuidado tenta discutir quaisquer falhas que os astrólogos podem trazer à tona (por exemplo, eles utilizam as definições dos próprios astrólogos sobre o que seria um gêmeo de tempo). O artigo é simplesmente devastador para a astrologia. E também não é muito difícil de se ler. Dê uma chance a ele! Eu rolei de rir várias vezes enquanto o lia, ele foi tão prático em sua dissecação e eventual destruição da astrologia.

Ivan Kelly escreveu outro artigo, chamado “Os Conceitos da Astrologia Moderna: Uma Crítica“, que discute a base fundamental da astrologia e suas crenças, e é similarmente devastador em suas conclusões. Como Kelly disse, “Nós podemos concluir que astrologia… Não é uma fonte de informações ou conhecimento confiável sobre nós mesmos… Astrologia é parte do nosso passado, mas astrólogos não tem nos dado razões plausíveis do porquê ele deveria fazer parte do nosso futuro…”.

Eu não poderia ter dito melhor. Oh espere, sim eu posso: astrologia é uma farsa.

 

Um Chamado às Armas

Então qual é o prejuízo? Claro, astrologia não funciona, mas isso é apenas por diversão, não é?

Errado.

Para começar, é estimado que centenas de milhões de dólares são gastos com astrologia todo ano nos Estados Unidos apenas. Isso é dinheiro de verdade, pessoal. Desperdiçado em algo que não funciona.

Além do mais, astrologia promove a pior coisa do mundo: pensamento conformista. Quanto mais ensinamos as pessoas a simplesmente aceitarem histórias anedóticas, boatos, dados seletivos (pegando apenas o que prova seu pensamento e ignorando todas as falhas), e francamente, mentiras e mais mentiras, mais fica difícil para as pessoas conseguirem pensar claramente. Se você não consegue pensar claramente, você não consegue funcionar como um ser humano. Pensamento conformista está deixando o mundo aos pedaços, e por mais que astrologia não esteja no cerne do problema, ele possui o seu papel nele.

Em terceiro lugar, e este me irrita pessoalmente, astrologia rouba os créditos da grandeza e magnificência do Universo. Nós vivemos em um lugar magnífico, este nosso Universo, ele é fantástico o suficiente sem precisar que pessoas enfeitem ele com suas fantasias. Astrologia acaba com a beleza da natureza.

Ei, você pode dizer, claro que isso está nos jornais, mas eles colocam isso próximo dos quadrinhos, certo? Quão sério os jornais levam os horóscopos então? Minha resposta é, se os jornais não levassem os horóscopos seriamente, então eles simplesmente não os publicariam em primeiro lugar. As pessoas sabem que histórias em quadrinhos não são reais, mas nem todas as pessoas entendem que astrologia possui tanta legitimidade quanto “Turma da Mônica”. Dizer que sua localização indica sua racionalidade é totalmente equivocado. A maioria dos jornais neste país sequer possuem uma seção sobre ciência, e ciência é crítico para nossas vidas diárias (você está lendo isso por um computador, certo? Você usa óculos, ou roupas, você escova seus dentes, toma remédios, investe em ações tecnológicas, dirige um carro? Agradeça a ciência por todas essas coisas então). Eles não possuem uma seção de ciência, mas publicam horóscopos. Aliás, nos anos 80, Nancy Reagan, a esposa do Presidente Reagan, consultava um astrólogo para ter certeza que as reuniões fossem marcadas em datas seguras astrologicamente. Seu marido – O Presidente dos Estados Unidos – concordava com isso. Continua pensando que isso é algo inofensivo? Indiscutivelmente o homem mais poderoso do mundo, e ele baseava seu calendário em uma aleatória e não fundamentada afirmação de um vidente anticientífico e sem credibilidade.

Eu espero que tenha feito meus argumentos de forma clara.

 

Resumo

Eu tenho muito a dizer aqui! Então para facilitar, aqui estão os tópicos principais desta página:

  • Não há força, conhecida ou desconhecida, que possa nos afetar aqui na Terra da forma que astrólogos afirmam. As forças conhecidas se enfraquecem rapidamente, deixando apenas uma fonte dominante (a Lua para gravidade, o Sol para electromagnetismo). Uma força desconhecida habilitaria asteroides e planetas de fora do sistema solar que iriam sobrepor totalmente o efeito dos astros próximos a nós.
  • Astrólogos tendem a abusar de nossa habilidade de lembrar os acertos e esquecer os erros. Mesmo uma previsão aparentemente precisa pode ser apenas uma coincidência.
  • Estudo após estudo tem nos mostrado que as afirmações e previsões feitas por astrólogos não possuem nenhum mérito. Eles são indistinguíveis de meros palpites, o que significa que astrólogos não podem afirmar ter alguma habilidade de prever seu papel na vida.
  • Há problemas reais na astrologia. Ela enfraquece a habilidade das pessoas olharem racionalmente para o mundo, uma habilidade que precisamos hoje mais do que nunca.

 

Conclusão

Astrologia é uma farsa.

Viu? Eu disse que iria repetir isso. Essa foi a única previsão astrológica que você pôde realmente confiar.

 

Links

Você pode digitar a palavra “astrologia” no Google, mas calma: você terá cerca de 11 milhões de páginas. 95% delas (pelo menos!) é lixo. Então, aqui está uma pequena lista do que fará valer o seu tempo.

 

Texto original em inglês:

2008 Phil Plait <http://www.badastronomy.com/bad/misc/astrology.html>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *